ESCRITORA - CURSOS

PALESTRAS - COACHING - CURADORIA

A história de Clarice

Uma história que me fez rir e chorar enquanto escrevia.

 \  A história de Clarice

A história de Clarice

capa a história de clarice
Editora: Editora Projeto
Ano de publicação: 2009
Capa e projeto gráfico: Tatiana Sperhacke
Ilustrações: Ana Raquel

A história de Clarice conta a história de uma menina de 10 anos que nunca se sentiu amada pela mãe. Até que um dia, a mãe “fez o que fez” e tudo mudou na vida da pequena Clarice e de seu irmãozinho André, que precisaram ir morar com a tia Lu numa cidade do interior. É um livro que dialoga com três histórias de minha infância: A bolsa amarela, O soldadinho de chumbo e A pequena vendedora de fósforo. O encontro de Clarice com estes livros e o amor da tia Lu irão redimensionar a vida da menina para sempre.

 

“Anna Claudia Ramos é uma das escritoras mais criativas da atualidade. Seus livros têm en­cantado crianças e adultos, por­que falam aos pequenos leitores, em linguagem poética e acessível, dos sentimentos e aflições de todo o mundo. Para que isso aconteça, a autora põe em funcionamento grande sensibilidade, traço marcante de sua personalidade, cul­tivada pela vivência prazerosa da leitura literária desde muito cedo. Ao descobrir emocionada a obra de Lygia Bojunga que, por sua vez, tem em Lobato um dos seus amores confessos, Anna Claudia torna-se mais um elo desta cadeia que é a literatura infantil brasilei­ra. Em pouco mais de cem anos de existência, essa literatura conta com um acervo de obras que dia­loga com a tradição e a atualidade, atenta às produções culturais em linguagens várias. Com A história de Clarice, não é diferente. A narrativa vale-se da memória cultural e emotiva da protagonista para levá-la a redes­cobrir seus primeiros livros e im­pulsioná-la a novas experiências leitoras. E mais: a arte literária apresenta-lhe a contrapartida da existência e, simbolicamente, uma maneira de resolver seus proble­mas. Menina criada sem o amor materno, quando, por força das circunstâncias, vai morar com a tia, Clarice descobre, aos poucos, um novo mundo, onde a ficção se tor­na o veículo mais eficaz para a co­municação com o outro.  Para que isso aconteça, a autora cria uma teia intertextual, que se abre com os contos tradicionais A vendedora de fósforos e O sol­dadinho de chumbo, em que os desfechos levam à realização do amor, e continua com A bolsa amarela, de Lygia Bojunga, que é a chave para a solução dos problemas de Clarice. Por meio do cru­zamento das histórias, a menina vive, no presente, uma relação de troca com a tia, como a Raquel do livro lido, aprendendo que a vida pode ser feita de afetos”.

Apresentação de Vera Teixeira de Aguiar

Doutora em Letras, Professora do Curso de Graduação e Pós Graduação em Letras/PUC-RS

 

 

Selecionado para a Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo/2010 Programa Nacional da Biblioteca Escolar – PNBE – 2011, e pelo Congresso Sociedade de Cultura Latina – Seção Brasil para integrar Os melhores de 2009 – categoria LIJ. Adotado por dois anos consecutivos na Seção Portuguesa do Liceu Internacional em Saint-Germain-en-Laye.

DESTAQUE

 

 

Deixe sua resposta